O mercado de trabalho está muito competitivo, já que ainda são poucas as boas oportunidades e muitos executivos bem preparados.  A lei da oferta e demanda novamente.

Diante disto, gostaria de compartilhar algumas dicas.

Muitos acham que ter um bom curriculum é suficiente. Ou ainda, ter muitas conexões no LinkedIn.  Tudo isto ajuda, mas será suficiente? É claro que são ações importantes, mas não suficientes. Nossas experiências expressas nos currículos e nos nossos perfis servem para sermos recrutados, mas não selecionados.

 

Então, baseado na minha experiência como ex-CEO, atual Coach de Carreira e Consultor de Transição Profissional, me atrevo a dar algumas dicas:

  • Esteja preparado para responder perguntas acorde com o que você escreveu sobre você no CV e no LinkedIn.  Parece obvio, mas encontro muitas vezes um desalinhamento entre o que se escreveu e o que se conta na entrevista. Coerência, harmonia e clareza;
  • Não basta dizer quais são seus pontos fortes, esteja preparado para contar sobre eles, dar um exemplo de como você concluiu que este é um ponto forte. De preferência validado por outro, como um chefe, por exemplo;
  • Prepare versões curtas para contar sobre suas experiências profissionais. O tempo é escasso e os entrevistadores querem fazer perguntas relevantes e cumprir seu próprio guia de perguntas.
  • Conte experiências que te geraram orgulho. Conte com autenticidade. Faça seus olhos brilharem durante a narração, gere conexão com o entrevistador;
  • Não se esqueça de estar preparado para contar um caso de equívoco em alguma decisão. Que impacto isto resultou e principalmente, o que aprendeu, que lições tirou do episódio;
  • Escreva e treine para contar a razão da saída do último emprego. Seja sincero, mas preserve seu ex-líder e sua ex-empresa. O foco é você. Mesmo as piores experiências nos fazem crescer e nos dão a oportunidade de explorar novos caminhos;
  • Demonstre ânimo e energia. Identifique aquilo que te energiza e faça. Exercícios físicos? Prática de esportes? Seja o que for, mas mantenha o ânimo por que autoconfiança tem um poder impressionante.
  • E por fim, não esqueça que uma entrevista é um processo formal, mesmo que em determinados ambientes ou determinados entrevistadores te deixem a vontade e estabeleçam um clima amistoso e descontraído, não esqueça que é um processo de pura avaliação.

Não esmoreça. Cada processo é uma oportunidade de aprendizado. Ao sair de uma entrevista faça uma auto avaliação. Vejo no que você pode melhorar na próxima. Se possível, escreva e treine. Treine muito.

Comments

comments